fbpx

COMO PREVENIR PROBLEMAS EM MOTOS PARADAS POR MUITO TEMPO?

just-rider-instagranSe você tiver que deixar sua moto parada por meses ou até anos seguidos sem funcionar, o que fazer para minimizar eventuais problemas? Quais são os riscos para os componentes da moto?

Bateria – poderá apresentar perda de carga, chegando a impossibilitar a partida;

Pneus – sofrerão alterações de pressão e poderão aparecer rachaduras por ressecamento;

Combustível – perda das propriedades do combustível e parte de sua eficiência;

Tanques – em motos que têm tanque de metal, poderá ocorrer oxidação em suas paredes;

Óleo lubrificante – poderá sofrer escoamento total para o cárter, ocasionando em alguns casos, o descarregamento de tuchos hidráulicos e mancais, comprometendo a vida útil do motor no momento da nova partida. Além disso, o óleo tem oxidação natural, o que com o tempo poderá provocar desgastes;

Pintura – se estiver em ambiente externo poderá sofrer danos em decorrência de depósito de fuligens. A utilização de capas impróprias, que formam câmaras de umidade, podem causar danos ao verniz;

Discos de freio – oxidação, principalmente em regiões litorâneas devido a maresia, o que provoca pequena deficiência momentânea nas primeiras frenagens;

Borrachas – deterioração nas borrachas em função do contato com o ozônio do ar.

Por isso, o ideal é que ao menos uma vez na semana alguém ligue a moto por pelo menos quinze minutos e movimente-a por alguns metros. Mas, se isso não for possível, o que fazer para tentar evitar os problemas citados acima?

Bateria – retire o fusível central, geralmente o de maior tamanho. Assim, todo o sistema elétrico ficará desligado enquanto a moto está parada. Em seguida, desconecte primeiro o pólo negativo e depois o positivo. Desta forma estará poupando a vida útil da bateria.

Pneus – levante a moto, de preferência usando um macaco, evitando neste caso que a parte de apoio dos pneus fique deformada. Lembre-se de colocar a trava de segurança do macaco, se houver. Deixe-os com uma calibragem entre 20% e 30% acima do recomendado no manual.

Combustível – para motos que têm tanque de metal, a recomendação é deixar o tanque cheio para evitar a oxidação. E substituir toda a gasolina antes de colocar a moto em funcionamento.

Óleo do motor – a recomendação é trocar o óleo a cada seis meses, ou trocar o óleo de todas as peças antes que o motor volte a funcionar.

Fluído de freio – também absorve umidade, e por isso é necessária a substituição do fluido assim que possível, principalmente se o veículo estiver parado por mais de um ano.

Disco de freio – experimente os freios com cautela e de forma suave para não ter surpresas de pinças e cilindro de rodas travados.

Peças de borracha – faça uma inspeção minuciosa para ver se nenhuma das peças possui rachaduras antes de colocar a moto para funcionar. Não coloque óleo ou outro produto sobre elas, somente uma boa lavada antes da parada e outra antes de funcionar.

Ambiente para guardar a moto  evite deixar a moto em contato direto com chuva, sol, poluição e umidade. Se for utilizar capas de proteção, fique atento, pois capas sem forração interna apropriada, associadas à umidade e ação do sol, poderão provocar manchas no verniz do veículo.

Outros itens a observar – faça uma checagem completa na pintura, pneus, borrachas e motor. As correias e correntes podem sofrer deterioração após muito tempo paradas, necessitando uma verificação especial.

Dependendo das condições e modelos, a moto pode ter mais ou menos problemas se ficar muito tempo parada. A recomendação é que após um longo período parada, mesmo seguindo essas dicas, seja feito um check-up completo em uma oficina mecânica. Mas, para nós, a melhor recomendação é não deixar a moto parada. Se for viajar, vá de moto. E de X11.

Fonte: www.viagemdemoto.com.br