DICAS ESSENCIAIS PARA UMA VIAGEM DE MOTO

DICAS ESSENCIAIS PARA UMA VIAGEM DE MOTO

Quem viaja de moto com frequência sabe que é normal algumas preocupações pré viagem. Afinal quem nunca sofreu com imprevistos? Quando se pretende fazer uma viagem em duas rodas, o planejamento tem que ser minucioso, pois você poderá estar sozinho, rodar por muitas horas e até não ter um teto para descansar – caso algo aconteça. Por isso, vale anotar essas dicas básicas, porém super importantes:

1 – Manutenção

Por incrível que pareça, muita gente não faz uma revisão da moto antes de viajar. Mas é importante verificar se sua moto tem condições de fazer uma longa viagem. Itens importantíssimos são os pneus, pois nem sempre é possível carregar um extra – ao contrário dos carros, onde isso pode ser feito facilmente. Portanto, verifique se eles estão em perfeito estado e troque-os caso estejam desgastados ou carecas. A última coisa que você deseja é ficar parado na estrada e sem nenhuma loja por perto que venda o modelo adequado para a sua motocicleta, não é mesmo?

2 – Mapas

O sinal de internet é inconstante em estradas, especialmente se você estiver longe de cidades grandes. Por isso, é extremamente importante possuir um mapa offline para os momentos que ficará sem internet.

3 – Hidratação e alimentação

Viajar de moto requer cuidados com o corpo também. Por isso, carregue barras de cereal e garrafas d’água para manter-se hidratado e com os níveis de açúcar sob controle. Além disso, procure dar uma pausa a cada duas horas para alongar o corpo. Lembre-se: você está no comando, logo, sua cabeça e seu corpo precisam estar funcionando muitíssimo bem.

4 – Sono

Quando parar para descansar, descanse mesmo! Durma o suficiente e respeite os seus níveis de energia para evitar problemas na estrada.

COMO GASTAR MENOS COMBUSTÍVEL

COMO GASTAR MENOS COMBUSTÍVEL

Rodar de moto todos os dias exige bastante do bolso quando o assunto é gasto com combustível. Levar em conta algumas recomendações sobre como diminuir o consumo da sua moto no dia a dia pode valer muito à pena.

Entre as práticas que podem ser adotadas é importante observar 3 fatores: o estilo de pilotagem, o objetivo ao usar a moto e o modelo da motocicleta.

O modo como o motociclista troca marcha pode acabar induzindo mais consumo: Trocas exageradamente fora do tempo causam gasto de energia desnecessária. O ponto morto também ajuda muito no desperdício de combustível, por isso, em descidas, deixe a moto engrenada.

Ao usar a motocicleta, a prática de esquentar o motor também não traz benefícios. As motos geralmente já possuem injeção direta e esse hábito pode esgotar a reserva de combustível sem aviso.

Outra prática a se evitar é acelerar a moto parada. Além de gastar gasolina, ela pode diminuir a vida útil do motor.

Por último, a calibragem do pneu tem papel fundamental na economia de combustível. A pressão baixa aumenta o consumo e pode acentuar o desgaste dos pneus perigosamente.

Verificar sua moto regularmente e prestar atenção à qualquer deficiência ou problema das peças do motor é o ideal. Com mais atenção, você pode diminuir bastante o desperdício de combustível!

CUIDADOS QUE VOCÊ DEVE TER AO LAVAR A SUA MOTO

CUIDADOS QUE VOCÊ DEVE TER AO LAVAR A SUA MOTO

Quem curte passar horas se aventurando em duas rodas, sejam em estradas pavimentadas ou em chão de terra e lama, sabe o quanto dá trabalho limpar a moto depois. São inúmeras peças que devemos tomar cuidado ao lavar para evitar qualquer tipo de maltrato com a companheira de aventuras.

Para começar, procure um lugar tranquilo e com sombra. Dê preferência aos produtos neutros, sem cheiro, e utilize a água em temperatura ambiente e com baixa pressão para que não danifique a pintura, faixas e adesivos.

Atenção! Lembre-se de vedar as entradas de ar e do escapamento pra não ter uma surpresa ruim quando terminar. Evite lavar a moto com o motor quente, isso faz com que o vapor expelido solte um cheiro desagradável.

Com o xampu neutro e pano macio (ou até uma camiseta velha), lave o tanque, assento, tampas laterais e para-lamas. Evite os jatos d’água nos cubos das rodas, interruptores, freios, painel de instrumentos, saída do escapamento e corrente de transmissão.

Para secar, o ideal é usar um equipamento de ar comprimido para tirar a água acumulada e impedir que algumas peças fiquem enferrujadas. Mas caso não tenha isso em casa, o pano macio entra em ação novamente. Seco, claro.

Quanto aos pneus, é bom evitar a utilização dos produtos chamados de “pretinhos”, apesar de serem bastante usados em pneus de carros e darem uma boa aparência a eles, com o tempo, nos pneus de motocicleta,  eles podem tirar um pouco da aderência e até provocar quedas já que o pneu se torna mais escorregadio.

Depois de lavada e seca, lubrifique a corrente de transmissão e os cabos do acelerador e da embreagem. Deixe o motor funcionando por alguns minutos. Caso saia para dar uma volta, cuidado nas primeiras frenagens, pois a eficiência dos freios é diferente quando molhados ou secos.

DICAS PARA QUEM VAI COMEÇAR A SE AVENTURAR NAS TRILHAS

DICAS BÁSICAS PARA QUEM VAI COMEÇAR A SE AVENTURAR NAS TRILHAS

Se você está prestes a encarar um novo desafio sobre duas rodas, as tão famosas trilhas, com certeza você deve estar cheio de dúvidas. Quais equipamentos de segurança utilizar? Como escolher minha moto? Posso ir sozinho ou devo começar acompanhado? Acredite, estas dúvidas são frequentes e, por isso, listamos algumas dicas que irão te esclarecer algumas coisas!

Dica 1

Todo mundo sente aquele friozinho na barriga na primeira vez que faz uma trilha, mas o foco não pode ser somente a moto! A segurança é o primeiro ponto no qual o motociclista deve pensar. Haverão trechos com animais, lama e você precisa estar seguro e ser ágil para evitar acidentes. Confira alguns dos itens indispensáveis:

· Bota
· Joelheira
· Cinta
· Cotoveleira
· Luva
· Colete
· Capacete (clique e conheça o nosso mais recente lançamento Atomic Bull)
· Óculos (clique e conheça os nossos lançamentos MX Ramp e MX 2)
· Água e alimentos (dependendo o tempo de trilha).

Dica 2
Qual moto escolher? Pra você, iniciante, não é necessária uma moto muito potente, recomendamos as 4 tempos de baixas cilindradas. A primeira moto, nunca é a última. Afinal, existem desafios cada vez maiores quando se é um amante da aventura! É importante que o farol e lanterna estejam em bom estado para ter uma boa visibilidade e também para ser visto, principalmente se você for fazer trilha a noite.

Dica 3
Você pode preferir pilotar sozinho, mas nas primeiras vezes é sempre bom encarar o desafio acompanhado! Motociclistas que estão há mais tempo no ramo podem te ajudar com dicas valiosas e te ajudar caso sua moto fique encalhada no barro. Nem precisamos falar sobre aqueles que têm algumas habilidades como reagir em situações de primeiros socorros.

SEIS DICAS DE DIREÇÃO DEFENSIVA PARA MOTOCICLISTAS

SEIS DICAS DE DIREÇÃO DEFENSIVA PARA MOTOCICLISTAS

A sensação de liberdade que se tem ao andar de moto é reconfortante. Após um longo período trancado no escritório ou em reuniões, pegar a sua motoca e sair por aí sentindo o vento recarrega as energias para o próximo dia — sem falar nas viagens que você pode fazer em duas rodas, que trazem paz e proporcionam uma paisagem incrível, seja lá aonde você esteja indo.

A direção defensiva para motociclistas é extremamente importante e nós vamos te dar algumas dicas para praticá-la. Confira:

Na hora de dirigirjust-rider-instagran

Parece óbvio, mas toda atenção no trânsito pode ser pouca. Em 2014, mais de 63 milhões de carros e motos estavam em circulação no país e, com isso, as ruas parecem ter se estreitado. Fique atento:

Ponto cego

O retrovisor da sua moto pode te pregar peças. Antes de trocar de faixa ou até mesmo realizar uma curva, não deixe de olhar para trás, além de olhar no retrovisor. O ponto cego do espelho pode trazer surpresas desagradáveis.

Distância

Você provavelmente aprendeu isso nas suas aulas da autoescola, mas muitos motoristas se esquecem de algumas regras. Mantenha uma distância segura do veículo que está à sua frente pois, em caso de frenagem brusca, dá tempo de você tomar alguma atitude para evitar acidentes.

Ah, e lembre-se: sua moto cabe entre dois carros, mas o seu lugar é na mesma faixa que eles!

Farol

Aqui vai mais uma dica de direção defensiva para motociclistas: ande sempre com o farol da moto ligado. É obrigatório por lei e chama mais atenção dos motoristas que estão ao seu redor.

Buzina

Utensílio de suma importância, a buzina deve ser utilizada com moderação. Ela é fundamental para alertar outros veículos da sua presença e prevenir acidentes. Mas cuidado: buzinar em excesso irrita e sua ação pode ter o efeito contrário.

Correntes de ar

É isso mesmo que você leu! As correntes de ar podem te derrubar da moto. Fique ligado: ultrapassou ou foi ultrapassado por um ônibus, caminhão ou carro, aumente a concentração para não correr o risco de se desequilibrar.

Segurança

Além de ser lei, utilizar capacete salva vidas. Outros itens de segurança, que são opcionais, também são importantíssimos para proporcionar uma viagem menos perigosa, como luvas, óculos escuros, roupas impermeáveis, calçado adequado, entre outros.

Pode não parecer, mas estes objetos podem ajudar a te proteger em caso de acidente, além de proporcionar um passeio mais agradável.

De nada adianta seguir todas as dicas acima se as condições de rodagem do seu veículo não estão adequadas. Por isso, fique de olho na manutenção da moto, deixe a revisão em dia e não corra riscos. Leve a mecânicos de confiança ou em concessionárias autorizadas e não confie seu patrimônio a qualquer um.

 

COMO PREVENIR PROBLEMAS EM MOTOS PARADAS POR MUITO TEMPO?

COMO PREVENIR PROBLEMAS EM MOTOS PARADAS POR MUITO TEMPO?

just-rider-instagranSe você tiver que deixar sua moto parada por meses ou até anos seguidos sem funcionar, o que fazer para minimizar eventuais problemas? Quais são os riscos para os componentes da moto?

Bateria – poderá apresentar perda de carga, chegando a impossibilitar a partida;

Pneus – sofrerão alterações de pressão e poderão aparecer rachaduras por ressecamento;

Combustível – perda das propriedades do combustível e parte de sua eficiência;

Tanques – em motos que têm tanque de metal, poderá ocorrer oxidação em suas paredes;

Óleo lubrificante – poderá sofrer escoamento total para o cárter, ocasionando em alguns casos, o descarregamento de tuchos hidráulicos e mancais, comprometendo a vida útil do motor no momento da nova partida. Além disso, o óleo tem oxidação natural, o que com o tempo poderá provocar desgastes;

Pintura – se estiver em ambiente externo poderá sofrer danos em decorrência de depósito de fuligens. A utilização de capas impróprias, que formam câmaras de umidade, podem causar danos ao verniz;

Discos de freio – oxidação, principalmente em regiões litorâneas devido a maresia, o que provoca pequena deficiência momentânea nas primeiras frenagens;

Borrachas – deterioração nas borrachas em função do contato com o ozônio do ar.

Por isso, o ideal é que ao menos uma vez na semana alguém ligue a moto por pelo menos quinze minutos e movimente-a por alguns metros. Mas, se isso não for possível, o que fazer para tentar evitar os problemas citados acima?

Bateria – retire o fusível central, geralmente o de maior tamanho. Assim, todo o sistema elétrico ficará desligado enquanto a moto está parada. Em seguida, desconecte primeiro o pólo negativo e depois o positivo. Desta forma estará poupando a vida útil da bateria.

Pneus – levante a moto, de preferência usando um macaco, evitando neste caso que a parte de apoio dos pneus fique deformada. Lembre-se de colocar a trava de segurança do macaco, se houver. Deixe-os com uma calibragem entre 20% e 30% acima do recomendado no manual.

Combustível – para motos que têm tanque de metal, a recomendação é deixar o tanque cheio para evitar a oxidação. E substituir toda a gasolina antes de colocar a moto em funcionamento.

Óleo do motor – a recomendação é trocar o óleo a cada seis meses, ou trocar o óleo de todas as peças antes que o motor volte a funcionar.

Fluído de freio – também absorve umidade, e por isso é necessária a substituição do fluido assim que possível, principalmente se o veículo estiver parado por mais de um ano.

Disco de freio – experimente os freios com cautela e de forma suave para não ter surpresas de pinças e cilindro de rodas travados.

Peças de borracha – faça uma inspeção minuciosa para ver se nenhuma das peças possui rachaduras antes de colocar a moto para funcionar. Não coloque óleo ou outro produto sobre elas, somente uma boa lavada antes da parada e outra antes de funcionar.

Ambiente para guardar a moto  evite deixar a moto em contato direto com chuva, sol, poluição e umidade. Se for utilizar capas de proteção, fique atento, pois capas sem forração interna apropriada, associadas à umidade e ação do sol, poderão provocar manchas no verniz do veículo.

Outros itens a observar – faça uma checagem completa na pintura, pneus, borrachas e motor. As correias e correntes podem sofrer deterioração após muito tempo paradas, necessitando uma verificação especial.

Dependendo das condições e modelos, a moto pode ter mais ou menos problemas se ficar muito tempo parada. A recomendação é que após um longo período parada, mesmo seguindo essas dicas, seja feito um check-up completo em uma oficina mecânica. Mas, para nós, a melhor recomendação é não deixar a moto parada. Se for viajar, vá de moto. E de X11.

Fonte: www.viagemdemoto.com.br